VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

sábado, 5 de novembro de 2016

"ABERTURA", por Isabel Rosete, in livro "ENTRE-CORPOS, de Isabel Rosete


«Porque não bates na minha vidraça,
Meu Amor tão esperado?
Porque te manténs nesse silêncio
Que me acabrunha a alma,
Ávida pela tua chegada?

Tens medo de voltar a amar-me
E de voltares a sofrer?
‑ Amar também é sofrer.
O Amor não ausenta o sofrimento.
Mas, o Amor… lembraste?
Também é o Prazer da chama que se exalta
E trás a Felicidade.
Porque te retrais, meu Amor?
Por que te fechas num espaço imaginário,
Sem alcance, onde me colocas numa redoma
Ao mesmo tempo aberta e fechada ao teu sentir?
‑ Tem coragem. Vá... tem coragem.
Descobre-te. E move-te. E declara-te.
O medo traz consigo a solidão
Que aborta o Amor e separa os amantes.
Porque te espantas com esta
Realidade tão óbvia?
Conheces outra nas coisas do Amor?»
Isabel Rosete
http://isabelroseteentrecorpos.blogspot.pt/search
Enviar um comentário