VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

sábado, 12 de março de 2011

Olho em frente.
Vejo a miséria das crianças
Que sofrem imaculadas
Sem Pátria, sem morada.
Escuto o redemoinho libertino
Dos espíritos embriagados
Pela nudez que
Não é mais originária.

Olho em frente.
Vejo a prepotência das Nações,
As falsas intenções dos Povos
Descrentes, dissimulados,
Completamente desnorteados.
Escuto os gritos da Terra
Em desespero, esmagada pela
Ambição dos Homens sem dignidade.
Isabel Rosete

Enviar um comentário