VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

sexta-feira, 1 de junho de 2012


"PÁGINAS EM BRANCO", por Isabel Rosete

«Escrevo naquelas páginas deixadas em branco
No meu bloco de notas
- Quase gasto -
Aquando desse teu silêncio insuportável
Que me sufoca o pensamento,
Que me torna a imaginação débil
E as minhas mãos estremecidas
- Quase inaptas.

Escrevo naquelas páginas deixadas em branco
No papel pardo pela ausência do teu amor
- Quase desfeito -
Aquando da lembrança da doçura daquele teu beijo
Sempre esperado no meu colo quente,
- Quase desfeito.

De repente, chegas, no teu silêncio aprazível.
Tudo se preenche nesse mesmo instante.
Adormeço, serena, com a minha cabeça pousada
No teu ombro forte, amparo dos meus sonhos
- Quase perfeitos."

Isabel Rosete
Enviar um comentário