VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Este mundo empoeirado,
Quadrado,
Obtuso,
Esmaga-me o Espírito.

O que temeis
Perversas gentes?
A verdade que vos arruína
A alma encoberta?

A mentira
Com que profanais
Os espaços sagrados?

A hipocrisia,
Agora,
Des-velada?

A cobardia
Persegue-vos.
A menoridade,
Das vossas mentes dementes,
Atrofiadas,
Claustrofóbicas,
Cultivada em terreno
Nem sempre infértil,
Atormenta-vos,
Até ao derradeiro momento
Da vossa existência,
Até ao dia juízo final.

Mesmo assim,
Não tendes remorsos?
Mesmo assim,
A consciência não vos pesa?

Claro que não!
Porque já não tendes consciência,
Porque já não sabeis o que são os remorsos.

Isabel Rosete
Enviar um comentário