VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O Mar que me deu a Paz

É o mesmo que me devora as entranhas
Nas escuras noites de trovoada
Que sob o meu tecto des-falecem.

IR
Enviar um comentário