VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Não sei amar sem sofrer,
Sem ausentar a dor
Num sereno campo de girassóis.

Não sei amar na quietude
Das noites de Lua cheia,
Na incandescência do fim da tarde,
Ao Pôr-do-Sol.

Não sei amar na suavidade das dunas
Das praias desertas,
Que as gaivotas sobrevoam,
Anunciando tempestades.

Não sei amar na paz, imutável,
De um encontro de amantes,
Saciáveis e discretos.

IR





Enviar um comentário