VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

segunda-feira, 14 de maio de 2012


"O PÃO DA POESIA", por Isabel Rosete 
(Inédito)

«Na mesa dos capitalistas
Como o pão dos explorados;
Na mesa dos burgueses
Como o pão dos pobres;
Na mesa dos pobres
Como o pão dos miseráveis.

Na minha mesa
Como o meu pão,
Apenas o meu pão,
Que não é nem o dos capitalistas,
Que não é nem o dos burgueses,
Que não é nem o dos pobres,
Que não é nem o dos miseráveis,
Apenas o meu pão,
O pão da minha alma,
O pão da minha poesia
Que desarma os capitalistas e os burgueses,
Que ampara os pobres e os miseráveis.»
 Isabel Rosete
12/05/2012
Enviar um comentário