VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Não sei Amar ...

Não sei amar
Sem sofrer
Sem me angustiar
Sem ausentar a dor…

Não sei amar
Num sereno
Campo de girassóis
Na quietude
De uma noite de Lua cheia

Na incandescência do fim da tarde
Ao pôr-do-sol
Na suavidade da areia
Das praias desertas …

Não sei amar na paz
De um encontro de amantes…

Sempre advém o turbilhão
Dos desejos
Dos quereres
Dos seres
Dos estares
Libinidalmente inquietos…

Uma ansiedade
Desmedida
Remove-me as entranhas…

O desassossego perpetua-se
A impulsividade eterniza-se
Des-constroem-se
Todos os pedaços de mim…

Sobrevivem fragmentos
Em pleno estado de combustão…

Peças soltas
Em desordem
Em con-fusão
Em dis-persão…

Isabel Rosete
25/01/08
Enviar um comentário