VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

quarta-feira, 12 de março de 2008

O ser humano perdeu-se de si próprio
Do Mundo e dos Homens…

Vive a ambição desenfreada
De um novo progresso…

Percorre todas as vias
Todos os caminhos
E chega ao Nada…

Só olha
Não vê…

Só ouve
Não escuta mais…

Vagueia por montes e vales
Sem destino determinado
À procura de uma qualquer coisa
Perdida
Outrora
Num espaço misterioso e indecifrável…

Não sabe mais de si
Nem do Mundo…

O Universo escapa-lhe
Tal como os intermináveis céus
Em noites de Lua cheia…

Chama o Tudo
Só o Tudo lhe satisfaz…

Não tem medida
Não tem freios
Não tem governo…

Move e remove todos os espaços
Num eterno círculo
Sem identidade…

Que Humanidade é esta
Que a si mesma se odeia
Se destrói
E se atropela?

Quanta violência
Que com o pensar crítico se confunde
Que da racionalidade se afasta
Que a livre expressão oprime…

Praguejam
Os Homens
Em nome da demagogia
Das falsas promessas
Sempre camufladas
Sempre adiadas…

Hipocrisia: é a palavra-chave
Desta gente des-vairada
Corrompida
Esmagada
Completamente destroçada…

Isabel Rosete
02/09/07
23/01/08
Enviar um comentário