VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Singelos e leves
Nos movemos
No espaço interplanetário
De todos os amores,
De todas as paixões,
Não nutridas,
Pela reciprocidade dos sentires.

Paixões brutais
Consomem,
Aniquilam
Os espíritos em des-união.

Paixões selváticas
Alimentam o amor e o ódio,
Tão próximos
E tão distantes.

Paixões bravias
Vulcanizam
Os pedaços dos pares
Em ininterrupto turbilhão.

Isabel Rosete
16/01/08
Enviar um comentário