VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

domingo, 31 de janeiro de 2010

Liberdade do Canto

Nos mais altos cumes das agrestes montanhas
Projecto a minha voz
Bem... ao longe
Num eco tremendo
Que por todos os lugares
Se espalha
Sem freios
Sem percalços.

A Liberdade do Canto
Leva-me às entranhas da Terra
Ao coração dos Céus
Às profundezas dos Oceanos.

Assim, solto o meu Grito
De estonteante Felicidade!

O Grito saudável da Loucura
Da Razão exacerbada
Da Consciência absoluta
Do Ser e do Não-Ser,
Mesmo que todas as verdades sejam,
Naturalmente,
Relativas.

Isabel Rosete
Enviar um comentário