VideoBar

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A angústia do Amor
Irrequieta-me.

Sofro pelos amores-vividos,
Pelos ainda não-vividos
E por viver.

Quero-os
E rejeito-os
Num só e mesmo instante
De plena inquietude,
Que me ex-tasia a Alma
Atormentada
Vagueante pelos atalhos,
Por onde não vou.

Isabel Rosete
15,03,2009
Enviar um comentário